Translate

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Temas da Idade Média

Depois da queda do Império Romano em 476 d.C. a Europa passou por uma fase de mudanças consideráveis do ponto de vista social, político e econômico.
Invasões dos nômades das estepes da Ásia Central e povos germânicos conhecidos como "bárbaros" pelos romanos desestruturam o império e daí surgirá uma novo sistema de produção o feudalismo. Os contatos e as rotas comercias diminuíram entre a China e o Ocidente, entre o norte da África e a Itália, entre Bizâncio=Constantinopla e Europa Ocidental. Este perído chamamos de Idade Média e vai de 476 a 1453.
Nesta fase ocorrem alguns processos históricos:
1 - a ascenção e expansão do islamismo
2 - o surgimento do Império Mongol no século XIII
3 - o fortalecimento e a divisão da Igreja
4 - a persseguição as bruxas e aos alquimistas
5 - o surgimento dos códigos da Cavalaria
6 - as novas tecnologias de armamento e de produção
7 - a desestruturação de algumas cidades e a fortificação de outras
8 - o surgimento de reinos na Europa como o dos Francos, Suevos, Visigodos
Os alunos do 1º ano pesquisaram sobre alguns temas e postaram comentários veja-os

19 comentários:

Anônimo disse...

Vikings: os povos normandos
História dos Vikings, os povos normandos, guerras, cultura, religião politeísta, comércio marítimo, mitologia, deuses vikings, cultura, economia, história da Europa.
Os vikings eram povos que habitavam a região da Península da Escandinávia (extremo norte da Europa) nas épocas Antiga e Medieval. Foram também chamados de normandos pelos franceses e italianos na Idade Média. A palavra viking origina-se do normando “vik” cujo significado mais provável é “homens do norte”.

Anônimo disse...

Alquimia
O significado da Alquimia pode assumir diversas conotações de acordo com o contexto em que é aplicada e da forma como é interpretada. A alquimia pode ser considerada uma modalidade de ciência, talvez a mais antiga da história da humanidade, que originou diversas outras, inclusive a química contemporânea. Porém, não é possível classificá-la apenas como uma ciência. Isto porque, na alquimia, inclui-se diversos elementos místicos, filosóficos e metafóricos; além de uma linguagem simbólica e interpretativa. Assim, podemos classificá-la genericamente como uma antiga tradição que combina química, física, arte e ocultismo.

Na linguagem alquímica encontra-se associação de símbolos astrológicos com metais. O Sol, por exemplo, é associado ao ouro; a Lua representa a prata; Marte associa-se ao ferro enquanto Saturno ao chumbo. Animais (mesmo mitológicos como o dragão) e suas características também são usados para definir os elementos e as substâncias e os processos ao qual são submetidos. O unicórnio ou o veado é usado para representar o elemento terra; o peixe representa a água; pássaros fazem referência ao ar e salamandras aludem ao fogo. Ainda, o sal é normalmente representado por um leão verde. A fase de putrefação do processo alquímico é representada por um corvo. A alquimia medieval é a responsável pelas bases da química moderna. Além disso, os alquimistas contribuíram imensamente com a medicina contemporânea e deixaram como legado de alguns procedimentos que são utilizados até hoje, como o "banho-maria" (em alusão à alquimista conhecida como Maria, a Judia). Porém, a maior influência da alquimia encontra-se nas ciências ocultas ocidentais agindo diretamente na sabedoria e natureza humana.

Nome=Ismael Paiva
Turma=110

Anônimo disse...

Tecnologia medieval
Trata das descobertas tecnológicas no período da Idade Média, que é o período intermédio numa divisão esquemática da História da Europa em quatro "eras".
São essas a quatro eras:a Idade Antiga, a Idade Média, a Idade Moderna e a Idade Contemporânea.
Essa "era" durou aproximadamente mil anos que se caracterizaram pelo predomínio do Cristianismo em todas as esferas da vida humana na Europa. O período também pode ser chamado de medievo e o adjetivo relacionado com ele é medieval.

Ass:Diógenes da Trindade
Turma: 110

Anônimo disse...

cavaleiros medievais
A Cavalaria medieval se refere à instituição feudal dos cavaleiros nobres e aos ideais que lhe eram associados ou que lhe foram associados pela literatura, notadamente a coragem, a lealdade e a generosidade, bem como a noção de amor cortês.

Além dos cavaleiros (miles), homens que os senhores feudais eram obrigados a apresentar (lanças), a Cavalaria era constituída pelos escudeiros, cavaleiros das ordens religiosas e dos conselhos (também conhecidos por «cavaleiros-vilãos»).

Os monges guerreiros das Ordens militares do Templo, dos Hospitalários, de Calatrava (mais tarde Ordem de Avis) e de Santiago de Espada desempenharam um papel muito importante nas lutas das CruzContrariamente aos outros militares, os monges guerreiros não recebiam remuneração, tendo de viver dos rendimentos próprios das suas ordens.

Contrariamente aos outros militares, os monges guerreiros não recebiam remuneração, tendo de viver dos rendimentos próprios das suas ordens.

Nesta composição da cavalaria das hostes, ocupavam, no último lugar, os peões, isto é, os que possuíam propriedades de menor valia. Obrigados ao serviço militar, os cavaleiros-vilãos não recebiam remuneração por essa actividade, mas as suas terras ficavam isentas do imposto de jugada. Tais cavaleiros eram equiparados aos nobres infanções e ainda eram dispensados do pagamento de direitos de portagem. Também nas anúduvas não tinham de executar trabalhos braçais. Dirigiam, sim, o trabalho dos peões. Estes últimos pagavam a jogada


Nome:Douglas A.B Cavalheiro N:14
Turma:110
Data:05/12/2008

Prof. Otávio disse...

Vikings é da turma 110 do Samuel

Anônimo disse...

A força dos povos Bárbaros

Os romanos consideravam-se superiores e se reteriam a todos os outros povos como “bárbaros”, um termo pejorativo na época. Mas foi por causa dos bárbaros e de uma grave crise interna que o império romano ruiu.



Os germanos e suas divisões

Todos os povos que se encontravam fora das fronteiras romanas eram chamados de bárbaros.

Entre eles, os germanos foram o povo de maior influencia na Europa, dividindo-se em uma série de outros grupos, como visigodos, ostrogodos, lombardos, hérulos , francos, saxões e burgúndios. Eles habitavam a região da Germânia, entre os rios Reno, Vístula e Danúbio. Os germanos valorizavam bastante a família e viviam em tribos. Cada uma tinha um líder, que chegava ao posto por sua valentia e liderança.



Decadência do império

O império romano do ocidente entrou em decadência a partir do século II, em razão da corrupção administrativa e da luta pelo poder.

A inflação e o desemprego logo apareceram, e a crise econômica não poupou nem mesmo o poderoso exercito romano.

No século V, os bárbaros começaram a cercar os territórios dominados pelos romanos e a invadi-los, até que em 476 os hérulos venceram o império Rômulo Augústulo. Chegava ao fim o Império Romano do Ocidente.



Culto aos deuses

Os germanos eram politeístas. Entre os deuses que veneravam estavam Odin, também chamado de Wotan, o deus do vento, da tempestade e das batlhas; Thor, ou Donar, que comandava os raios; Freya, a deusa do amor e dos raios; e Nerthus, deusa da fertilidade. Para os germanos, quando alguém morria combatendo, era levado para o Wlhalla (paraíso) pelas valquirias (donzelas guerreiras), filhas de Wotan. Mas se a pessoa morresse de doenças ou velhice, seu lugar era Hell (o reino das trevas).

nome: Carolina turma: 111

Anônimo disse...

A Alquimia é uma tradição antiga que combina elementos de química, física, astrologia, arte, metalurgia, medicina, misticismo, e religião.
O significado da Alquimia pode assumir diversas conotações de acordo com o contexto em que é aplicada e da forma como é interpretada.
Pôr exemplo alquimia pode ser
considerada uma modalidade de ciência, talvez a mais antiga da história da humanidade, que originou diversas outras, inclusive a química contemporânea.
Assim, podemos classifica-La genericamente como uma antiga tradição que combina química, física, arte e ocultismo; pôr esse motivo , a alquimia também é classificada como uma ciência ou arte hermética.nesse caso hermético vem de Hermes trismegistos e significa de difícil acesso a compreensão.
Uma das principais características dos alquimistas é a linguagem complexa e rabiscada na qual são redigidos . Durante a Idade Média, isto poderia ser um recurso usado pêlos alquimistas para que não fossem alvo da perseguição da Santa inquisição . Porem , também é possível que os tentassem ocultar as formulas , de modo que apenas outros alquimistas compreendessem. Santa Inquisição. Porém, também é possível que os autores tentassem ocultar as fórmulas, de modo que apenas outros alquimistas compreendessem.

helio A. teixeira turm.111 t

Anônimo disse...

ALQUIMIA A Alquimia é uma tradição antiga que combina elementos de química, física, astrologia, arte, metalurgia, medicina, misticismo, e religião.
O significado da Alquimia pode assumir diversas conotações de acordo com o contexto em que é aplicada e da forma como é interpretada.
Pôr exemplo alquimia pode ser considerada uma modalidade de ciência, talvez a mais antiga da história da humanidade, que originou diversas outras, inclusive a química contemporânea.
Assim, podemos classifica-La genericamente como uma antiga tradição que combina química, física, arte e ocultismo; pôr esse motivo , a alquimia também é classificada como uma ciência ou arte hermética.nesse caso hermético vem de Hermes trismegistos e significa de difícil acesso a compreensão.
Uma das principais características dos alquimistas é a linguagem complexa e rabiscada na qual são redigidos . Durante a Idade Média, isto poderia ser um recurso usado pêlos alquimistas para que não fossem alvo da perseguição da Santa inquisição . Porem , também é possível que os tentassem ocultar as formulas , de modo que apenas outros alquimistas compreendessem. Santa Inquisição. Porém, também é possível que os autores tentassem ocultar as fórmulas, de modo que apenas outros alquimistas compreendessem.

Helio o.A.teixeira

Anônimo disse...

A palavra Bruxaria, segundo o uso corrente da língua portuguesa, designa as faculdades sobrenaturais de uma pessoa, que geralmente se utiliza de ritos mágicos, com intenção maligna - a magia negra - ou com intenção benigna - a magia branca. É também utilizada como sinônimo de curandeirismo e prática oracular, bem como de feitiçaria.Não se sabe a exata origem das Bruxas, constam relatos de que elas existam desde os primórdios da humanidade.
As práticas de bruxaria envolvem rituais simbólicos desde os tempos neolíticos. A primeira demonstração da arte de devoção foi encontrada em cavernas do período neolítico, onde havia ilustrações dos rituais de adoração às deusas da fertilidade dos povos primitivos.

Dessa forma, as experiências visionárias, rituais de caça e cerimônias de cura sempre estiveram presentes nos símbolos e metáforas de cada cultura.
Durante a Idade Média toda e qualquer mulher que conseguia poder, passavam gradativamente a ser considerada bruxa. Bruxa em sânscrito significa “mulher sábia”. As bruxas eram denominadas sábias, até a Igreja lhes atribuir o significado secundário de mulheres dominadas por instintos inferiores. Sem mito algum, as bruxas eram apenas mulheres que conheciam e entendiam do emprego de ervas medicinais para cura de enfermidades, e colocavam em prática seus conhecimentos nos vilarejos onde habitavam.
Com a chegada do Cristianismo, começando a imperar a era patriarcal, as mulheres foram colocadas em segundo plano e tidas como objetos de pecado utilizados pelo diabo.
Muitas mulheres não aceitaram essa identificação e rebelaram-se. Essas, dotadas de poder espiritual, começaram a obter novamente o prestígio que haviam perdido o que passou a incomodar o poder religioso. Assim acusar uma mulher de bruxaria ficou fácil, bastava uma mulher casada perder a hora de acordar, que o marido a acusava de estar sonhando com o demônio.,
A igreja, na idade média, se tornou muito poderosa e importante nos aspectos políticos, econômicos e sociais.Com esse enorme "poder",o cristianismo se espalhou intencivamente, convertendo ou acabando com seguidores de outras religiões. Nesse época, os bruxos e bruxas eram chamados de "adoradores do diabo" e quem praticava qualquer tipo de religião a não ser o cristianismo, era executado (nem sempre precisavam de provas concretas para a execução e quem denunciava seguidores de outras religiões era muito bem recompensado.)
As bruxas que vivam nesse época tinham que optar a ter instrumentos ocultos para não serem descobertas, entre eles: a colher de pau, panelas grandes e outros utensílios de cozinha. E quando elas recebiam uma acusação, eram torturadas até assumirem. E muitas se entregavan sem mesmo praticar a arte.
As bruxas na verdade eram mulheres que, durante a Idade Média, dominavam os tratamentos a partir das ervas medicinais, o que deu origem a lenda que elas produziam “poções mágicas”, que na verdade eram apenas medicamentos feitos a partir dessas ervas medicinais. Em virtude disso, essas curandeiras eram muito conhecidas na região em que habitavam e possuíam um grande prestígio social.
É difícil precisar como e quando surgiram essas curandeiras, mas muitos estudiosos acreditam que sua origem está na cultura celta, notadamente nas sacerdotisas druidas. Os druidas eram os sacerdotes da sociedade celta, encarregados de comandar os rituais religiosos desse povo, que em geral apresentavam forte ligação com a natureza. Desta maneira, esses sacerdotes adquiriram um extenso conhecimento sobre as plantas e as propriedades medicinais que essas possuíam, atuando também como curandeiros em suas comunidades.
Segundo alguns estudiosos, as bruxas seriam, então, herdeiras dessa tradição celta, herdando os conhecimentos dos sacerdotes druidas e aplicando-os nos vilarejos em que viviam. Tanto que o famoso dia das bruxas, comemorado no dia 31 de outubro, foi inspirado em uma festa religiosa celta, que ocorria nesse mesmo dia. No entanto, apesar dessas evidências, é difícil precisar se as bruxas eram realmente herdeiras dos druidas.
As famosas bruxas eram, então, apenas curandeiras, detentoras de um sábio conhecimento capaz de salvar muitas vidas durante a Idade Média, período em que não havia remédios como conhecemos hoje. No entanto, a partir de 1320, ano em que a Igreja anunciou que a bruxaria deveria ser considerada uma heresia, essas curandeiras passaram a ser cruelmente perseguidas (principalmente através da Inquisição), acusadas de feitiçaria e de terem ligações com o demônio.Vale lembrar que nesse período a Europa passava pela difícil Crise do Século XIV, período marcado pela fome, pelas guerras e pela epidemia de peste negra, conjunto de fatores que acabaram por dizimar 1/3 da população européia. Com um quadro de calamidade como esse, não foi difícil acusar essas curandeiras de terem participação nessas tragédias. Além disso, devemos destacar o período correspondente à Reforma e Contra-Reforma, no século XVI, no qual as bruxas também foram amplamente perseguidas, visto que houve a restauração do Tribunal do Santo Ofício, que se lançou à perseguição contra os hereges.
Apesar das perseguições, torturas e assassinatos que as bruxas sofreram na história, suas tradições não morreram. Recentemente, nos anos de 1950, bruxas e bruxos da Inglaterra se reuniram e fundaram a Wicca, religião que tem suas tradições baseadas na bruxaria medieval. Apesar de não ser a mesma coisa, a Wicca herdou muitas das tradições da Bruxaria Tradicional, mantendo vivas algumas das tradições que milhares de mulheres pagaram com a própria vida para praticar.




Nome: Jaqueline Daiane Do N. Sousa
Turma:111

Anônimo disse...

A Alquimia é uma tradição antiga que combina elementos de química, física, astrologia, arte, metalurgia, medicina, misticismo, e religião. Existem três objetivos principais na sua prática. Um deles é a transmutação dos metais inferiores em ouro, o outro a obtenção do Elixir da Longa Vida[1], uma panacéia universal, um remédio que curaria todas as doenças e daria vida eterna àqueles que o ingerissem. Ambos estes objetivos poderiam ser atingidos ao obter a pedra filosofal, uma substância mística que amplifica os poderes de um alquimista[1]. Finalmente, o terceiro objetivo era criar vida humana artificial, os homunculus. É reconhecido que, apesar de não ter caráter científico, a alquimia foi uma fase importante na qual se desenvolveram muitos dos procedimentos e conhecimentos que mais tarde foram utilizados pela química. A alquimia foi praticada na Mesopotâmia, Egito Antigo, Mundo Islâmico, Pérsia, Índia, Japão, Coréia e China, na Grécia Clássica, em Roma, e na Europa.

nome: Marcelo Manica
turma:110
data:12/12/2008

Anônimo disse...

Cavalaria medieval
A Cavalaria medieval Medieval se refere à instituição feudal doscavaleiros nobres e aos ideais que lhe eram associados ou que lhe foram associados pela literatura , notadamente a coragem, a lealdade e a generosidade, bem como a noção de amor cortês.
Além dos cavaleiros (miles), homens que os senhores feudais eram obrigados a apresentar (lanças), a Cavalaria era constituída pelos escudeiros, cavaleiros das ordens religiosas e dos conselhos (também conhecidos por (Cavaleiro-vilãos).
Cada lança constituía uma fila formada pelo seu chefe, designado por homem de armas, pelo seu escudeiro, pelo pagem , dois arqueiros a cavalo ou besteiros e por um espadachim . Cinco ou seis filas formavam uma bandeira, subordinada a um chefe. E um certo número de bandeiras constituía uma companhia de homens de armas.
Os monges guerreiros das Ordens militares do Templo , dos Hospitalarios , de Calatrava (mais tarde Ordem de Avis) e de Santiago de Espada desempenharam um papel muito importante nas lutas das Cruzadas.
O grão-mestre de cada Ordem exercia o comando supremo destas milícias permanentes em que serviam de oficiais, os cavaleiros professos e de soldados, os servos e os lavradores das terras destas ordens ámonstico militares.
Também lhes competia o tratamento de doentes e de feridos e, mesmo em tempo de paz , praticavam regularmente exercícios de adestramento militar. Competia-lhes defender as regiões fronteiriças, onde se instalavam castelos que constituíam a guarda avançada dos cristos ante às terras dos muçulmanos.
Contrariamente aos outros militares, os monges guerreiros não recebiam remuneração, tendo de viver dos rendimentos próprios das suas ordens.
Nesta composição da cavalaria das hostes , ocupavam, no último lugar, os peões, isto é, os que possuíam propriedades de menor valia. Obrigados ao servio militar , os cavaleiros-vilãos não recebiam remuneração por essa actividade, mas as suas terras ficavam isentas do imposto de jugada. Tais cavaleiros eram equiparados aos nobres infanções e ainda eram dispensados do pagamento de direitos de portagem. Também nas anúduvas não tinham de executar trabalhos braçais. Dirigiam, sim, o trabalho dos peões. Estes últimos pagavam a jogada.

vanessa cristina oliveira de paula turma 110

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
cristina disse...

Mitologia nórdica:
A mitologia nórdica, se refere a uma religião pré-cristã, crenças e lendas dos povos escandinavos, incluindo aqueles que se estabelecem na Islândia, onde a maioria das fontes escritas para a mitologia nórdica foram construídas.
A mitologia nórdica é uma coleção de crenças e historias compartilhadas por tribos do norte da Germânia (atual Alemanha).

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Quem foram os vikings: Os vikings foram um povo conquistador de territotio envadiram e colonizaram a costa da E scandinavia e outros paises. Tambem foram grandes exploradores maritimos eram gurreiros ,piratas e comerciantes. Esse povo que fora temido pelos povos da antiguidade habitou a escandinavia .Eram politeistas portanto cultuavam diverasas divindades e tambem as temiam.

Bruno da Silva de Quadros 110

cristina disse...

No folclore escandinavo estas crenças permaneceram por mais tempo, e em áreas rurais algumas tradições são mantidas até hoje, recentemente revividas ou reinventadas e conhecidas como Ásatrú ou Odinismo. A mitologia remanesce também como uma inspiração na literatura assim como no teatro e no cinema.
A família é o centro da comunidade, podendo ser estreitamente relacionada com a fertilidade-fecundidade quanto com a agressividade de um povo hostil e habituado as guerras, em uma sociedade totalmente rural que visa a prosperidade e a paz para si. Deste modo, a religião é muito mais baseada no culto do que no dogmatismo ou na metafísica.
Fontes:
A maior parte desta mitologia foi passada adiante oralmente, sendo que grande parte dela foi perdida. Entretanto, parte de sua história foi registrada por estudiosos cristãos, particularmente no Eddas e no Heimskringla, desenvolvido por Snorri Sturluson, que rejeitava a idéia de que as divindades da era pré-cristã eram formadas somente por diabos.
A prose or younger Edda foi escrita no inicio de século xiii.A primeira vista ele parece um manual para aspirantes a poetas,que lista e descreve os contos tradicionais que deram forma a base de expressões poéticas padronizadas, tais como os kennings.
O Elder Edda foi escrito aproximadamente 50 anos mais tarde.Contém 29 poemas longos, sendo que 11 tratam sobre as divindades germânicas

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

ola gentes!